#SOMOSAJUDA de 1981 |
Categorías

Ajuda em Ação colabora com OxyVita, o ventilador solidário, eficiente e de baixo custo

06-10-2020 Leitura 4 Minutos 3

Ajuda em Ação

Desde que a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou a Covid-19 como pandemia global no mês de março, o avanço desta doença deixou bastante visível a necessidade de dispor de material médico adequado e suficiente para combater os seus efeitos nos pacientes mais graves. Perante esta situação, o hub de inovação tecnológica espanhol Ennomotive liderou, no mês de março, uma iniciativa solidária que acabou por dar origem ao OxyVita Emergency Ventilator, um ventilador de ventilação mecânica invasiva de baixo custo e sem patente.

Este projeto pôde ser concretizado graças à aliança e colaboração de diferentes entidades: lyntia, que financiou a pré-produção; Vithas e Fundación Vithas, com a homologação do ventilador e trazendo para o projeto os conhecimentos de médicos intensivistas; Mcfly Technologies, responsável pela produção em massa do ventilador de forma rápida; e a Ajuda em Ação, com a distribuição dos ventiladores na América Latina e em África. O projeto contou ainda com a colaboração de outras entidades como a Universidade Católica de Valência, Medical Simulator, Capital Energy, Fundación ICAI, Rivergo Advisors e a Universidade Francisco de Vitoria.

Para o desenvolvimento deste ventilador, o ennomotive partiu do design desenvolvido pelo engenheiro Frede Jensen, que possui uma vasta experiência no desenvolvimento de dispositivos médicos e ventiladores, e foi posteriormente aprovado pela Agência Espanhola de Medicamentos e Produtos Médicos para ser utilizado em ensaios clínicos, autorização esta que permite que seja utilizado nas Unidades de Cuidados Intensivos onde é mais necessário na luta contra a pandemia. O objetivo agora passa por fazer chegar o OxyVita aos locais que se encontram em situação de emergência devido à Covid-19 e que não possuem material médico deste tipo ou os recursos económicos necessários para o adquirir.

“Estamos muito orgulhosos pelo que conseguimos alcançar e, sobretudo, por termos um ventilador com diferenças muito relevantes em relação a outras iniciativas que o tornam um equipamento eficiente para ser usado em Cuidados Intensivos, é seguro, portátil, escalável e de fácil utilização”, assegura Enrique Ramírez, fundador do ennomotive.

Já Ángel Ayuso, diretor científico da Vithas e diretor administrativo da Fundación Vithas, destaca como a experiência desta rede hospitalar no combate à Covid-19 influenciou a sua participação no OxyVita. “Nos hospitais Vithas assistimos na primeira fila à pressão sanitária provocada pela pandemia da Covid-19 e, por isso, não hesitámos um minuto em juntarmo-nos a este projeto solidário que ajudará milhares de pacientes no Equador e noutros países a receber os cuidados médicos que necessitam”. E acrescenta, “a Fundación Vithas cumpre assim dois objetivos fundamentais: impulsionar a inovação na saúde e atuar como instrumento da Responsabilidade Social Corporativa da Vithas”.

No caso da lyntia, “decidimos apoiar o OxyVita por duas razões, porque é um projeto solidário que encaixa perfeitamente nos nossos objetivos de Responsabilidade Social Corporativa e porque é um projeto muito inovador desde o design até à produção”, segundo José Ignacio Ríos, diretor estratégico.

O processo de produção dos ventiladores está a ser levado a cabo nas instalações da Mcfly Technologies em Toledo. Aí teve lugar, no passado dia 31 de julho, a apresentação do OxyVita, que contou com a participação de representantes das diferentes entidades que compõem o consórcio, bem como com Cristóbal Fernández Roldán, embaixador do Equador em Espanha, e Miguel Ángel González Lajas, Conselheiro Delegado do Instituto de Finanças de Castilla-La Mancha.

“Este projeto constituiu todo um novo desafio profissional porque em muito pouco tempo tivemos de desenvolver uma metodologia de produção de equipamento médico numa fábrica em que não tínhamos experiência prévia e, ainda assim, o resultado foi fantástico”, explica Enrique López Ayllón, diretor da Mcfly Technologies.

Outro aspeto positivo do OxyVita é que o seu design permite montá-lo e experimentá-lo a nível local no país onde vai ser utilizado. A parte eletrónica com o software já integrado será enviada a partir de Espanha para que os países que o vão receber apenas tenham de fornecer os restantes componentes. Isto faz com que o custo do OxyVita esteja abaixo dos 1.000€, em comparação com outros ventiladores convencionais que têm um custo entre 9.000€ e 60.000€.

América Latina, o atual epicentro da pandemia

Com cerca de 30% do total de casos confirmados de Covid-19 no mundo inteiro, a América Latina é, até agora, a região do globo mais afetada com mais de cinco milhões de contágios e 200 mil mortos. Perante este cenário, o destino do primeiro envio dos ventiladores será o Equador. Através da gestão realizada pela Ajuda em Ação com as autoridades sanitárias e institucionais do país, foram enviados 50 ventiladores que o Ministério de Saúde Pública distribuirá entre os centros de saúde locais e regionais de Quito e regiões do interior onde o número de contágios é maior.

“Sem dúvida que o OxyVita vai permitir salvar muitas vidas e é nisso que estamos a trabalhar todos no governo do Equador”, assegura Cristóbal Fernando Roldán, Embaixador do Equador em Espanha. Por sua vez, Luis Palacios, diretor de Marketing e Comunicação da Ajuda em Ação Espanha, acrescenta: “Com a produção destes primeiros ventiladores que chegarão ao Equador nos próximos dias arrancamos com um projeto que vai levar esperança a uma região que está agora a ser fortemente afetada pela Covid-19”.