#SOMOSAJUDA de 1981 |
Categorías

Abelhas e cooperação de mãos dadas

30-06-2021 Leitura 4 Minutos 3

As abelhas são um dos insetos mais temidos por causa do seu ferrão. Mas, por outro lado, os benefícios que nos deixam são muito maiores do que o medo. A sua importância para os ecossistemas, e portanto para a vida, é fundamental. Na Ajuda em Ação, trabalhamos para o desenvolvimento sustentável e a criação de emprego e unimos o mundo da apicultura com o mundo da cooperação em projetos como os que hoje apresentamos.

Bolívia: pai e filha unidos pela apicultura

Carla Lizbeth tem 28 anos de idade e, juntamente com o seu pai, iniciou uma empresa na qual as abelhas e o desenvolvimento andam de mãos dadas. O setor apícola, como tantos outros, foi duramente atingido pela pandemia: a procura e a produção caíram a pique. Mas a adaptação nunca foi um problema para ela. Tendo estudado para ser assistente de farmácia, não encontrou trabalho na sua profissão, situação que afeta a maioria dos jovens no seu país. Mas ela é mãe e precisa de alimentar a sua filha. Foi por isso que pensou em capitalizar o trabalho que o seu pai tinha feito com abelhas durante seis anos.

Fiquei interessada em aprender sobre o setor da apicultura, vi que podia conseguir obter rendimentos e, para isso, era fundamental ter motivação, interesse e isso não me faltava!

Formação para o auto-emprego

Quando a Ajuda em Ação, com o apoio do nosso parceiro local Nor Sud, criou a oportunidade de formação em apicultura na sua comunidade, ela não hesitou um segundo. Com as formações, Carla (e muitas outras mulheres) aprendeu como apanhar as abelhas para construir as colmeias, como diferenciar a abelha rainha no enxame e como organizá-las.

Abelhas e cooperação são palavras que andam de mãos dadas. Estão relacionadas tanto no sentido mais estrito das duas palavras como se falarmos de desenvolvimento. Graças a este projeto, em que Carla Lizbeth participa, estamos a conseguir melhorar as condições de vida de uma grande parte da comunidade do Uruguai, na zona de Chuquisaca. Parte do mel produzido é vendido na aldeia, e outra parte é enviada para Sucre ou La Paz, onde há maior procura.

Este ano, quero aprender a colher pólen e a criar rainhas. Desta forma, poderei aumentar as nossas caixas de colmeias e a nossa produção de mel.

Neste momento, Carla Lizbeth e o seu pai, formados pelo nosso programa de criação de cadeias de valor, estão a trabalhar sozinhos. No entanto, em breve vão juntar-se à Associação de Apicultores do Uruguai (APIUR). Eles sabem que a união faz a força e a Ajuda em Ação continuará a acompanhá-los para continuarem a crescer.

San Lucas Atzala, a aldeia transformada por abelhas

Na comunidade de San Lucas Atzala, a apicultura não era uma profissão desconhecida para os seus habitantes. No entanto, poucos dos que se dedicam a ela têm formação específica. O que significa isto? Que os apicultores não desenvolveram uma linha de negócio forte, que proporcione mais rendimentos. E o pouco mel que foi vendido foi vendido a um custo muito baixo, pelo que o produto foi pouco valorizado.

Perante a situação, Fortunato Méndez, que já fazia parte de outros projetos de desenvolvimento, solicitou informações à Ajuda em Ação México. O nosso programa nacional estava a começar a desenvolver um programa que ligava as abelhas ao desenvolvimento socioeconómico da área. Em pouco tempo, Fortunato conseguiu reunir mais pessoas interessadas, como ele, em receber informação para possível apoio.

As abelhas e a cooperação, neste caso, não andaram de mãos dadas. A maioria dos apicultores da comunidade trabalhava individualmente e queria continuar a operar dessa forma. Mas seis dos participantes disseram que estavam dispostos a criar uma empresa cujo objetivo principal seria promover o desenvolvimento não só das suas famílias, mas de toda a sua comunidade. No final, o grupo foi criado com dez pessoas.

A empresa apícola conta agora com três mulheres e quatro homens adultos e três jovens. Não é apenas um negócio, mas sim um instrumento de sensibilização social e de proximidade. A comunidade está a aprender sobre os benefícios e vantagens das abelhas para o desenvolvimento sustentável. Por esta razão, outras famílias começam a dar espaço para colocar as caixas de abelhas nas suas terras.

São apenas alguns meses de trabalho, mas os resultados já são visíveis: foi criada uma empresa coletiva que está a unir a comunidade em torno de alguns objetivos. Além disso, o comércio foi profissionalizado e houve uma mudança geracional no mesmo. Se tudo correr bem, San Lucas Atzala será uma aldeia produtora de mel durante muitos anos.

Nicarágua: cooperativas de apicultura geridas por mulheres

No município de Madriz, na Nicarágua, a Ajuda em Ação está a realizar um projeto para gerar oportunidades graças à Cooperação Galega da Xunta de Galicia. Em julho de 2020, apesar da pandemia, não deixámos de trabalhar, precisamente quando a ajuda foi mais necessária do que nunca. Promovemos a criação de três cooperativas de apicultura compostas por 171 mulheres. Todas elas gerem cerca de 250 colmeias.

Eles, juntamente com as abelhas, são os protagonistas deste projeto associativo. Mas são também os protagonistas das suas próprias vidas. Isto porque o empoderamento económico e político tem sido uma das nossas linhas de trabalho na região há muitos anos.

Para além do apoio para melhorar o desempenho do seu trabalho, as mulheres das três cooperativas recebem formação que lhes permite aprender sobre a importância das abelhas para o desenvolvimento sustentável. O Corredor Seco da América Central, onde se situa Madriz, é uma das áreas do mundo mais vulneráveis ao impacto das alterações climáticas.

Adriana, um exemplo de juventude ativa, é uma das mulheres que participa neste projeto que une as abelhas e a cooperação.

A partir de agora, quando se vê uma abelha, pode-se, não só olhar para ela com medo, mas também como um pequeno ser capaz de gerar vida e desenvolvimento!

Leia o artigo original da Ajuda em Ação Espanha AQUI.